Doença periodontal em pets pode levar a complicações cardíacas

Doença periodontal em pets pode levar a complicações cardíacas

Alimentos pastosos podem colaborar na formação de placas bacterianas

Causada pelo acúmulo de placa bacteriana e consequente formação de tártaro, a doença periodontal atinge quase todos os pets que não recebem cuidados adequados diários para uma boa saúde oral.

De acordo com o médico veterinário, Adelmo Guilhoto Miguel, que atua na área clínica e cirurgia de cães, gatos e animais silvestres na Clínica Espaço Veterinário, são os cães que mais sofrem com a formação de tártaro, que pode levar a uma doença conhecida na medicina veterinária como endocardite bacteriana. “Isso significa que os cães com doença periodontal tendem a apresentar também uma doença cardíaca”, explica, ressaltando que as bactérias da boca migram, através da gengiva inflamada, para o músculo cardíaco e causam uma degeneração do órgão. “A maioria dos cães idosos apresentam insuficiência cardíaca.”

Fora a endocardite bacteriana, Adelmo também elenca que a doença periodontal e o tártaro podem ser a base de casos de insuficiência renal e hepática. Ele adianta, ainda, que a idade do pet não está relacionada à probabilidade de casos, contudo, como a doença é progressiva, animais idosos costumam apresentar quadros mais graves e irreversíveis, como a perda de dentes.

Já em relação aos alimentos que colaboram com essas doenças, Adelmo esclarece que os pastosos e úmidos, como latinhas de patês e caseiros, apesar de saudáveis, podem acelerar a velocidade de formação da placa bacteriana. “Independente do alimento oferecido, o cuidado diário e o acompanhamento semestral do paciente serão os pontos principais na prevenção dessas doenças”, enfatiza.

Assim, entre os cuidados bucais está a escovação correta. Segundo Adelmo, a escova deve ser macia e pequena. “As melhores são as de uso humano, indicada para bebês, mas existem muitos produtos eficientes e mais práticos que a escovação. Penso que a maioria das pessoas tem uma rotina diária que não permite a escovação com a frequência correta. Por isso, recomendamos produtos que podem ser misturados ao alimento ou à água. Também existem pastas enzimáticas que limpam de forma eficiente sem a necessidade da escovação.” O acompanhamento com um médico veterinário também é imprescindível, para que exames da gengiva e dentes sejam solicitados.

 

 

Fechar Menu